A Garota Dinamarquesa e a luta contra o preconceito

A Garota Dinamarquesa e a luta contra o preconceito

A Garota Dinamarquesa é baseado na história de um pintor relativamente famoso chamado Einar Wegener (Eddie Redmayne) que não se vê como um homem e deseja assumir sua identidade feminina. Einar foi o primeiro homem a realizar a cirurgia de mudança de gênero, na década de 1920. O filme é narrado do ponto de vista de Einar que deseja se transformar (se permitir a ser) em Lili Elbe e de sua esposa Gerda (Alicia Vikander). A atuação de ambos os atores são excelentes, principalmente de Eddie Redmayne. Sua sutileza com as mãos, o seu andar e até mesmo a forma de falar são incrivelmente bem expressados em todo o filme. A forma que Eddie passa toda a carga dramática de Lili e sua briga interna para o espectador faz com que em vários momentos do filme você acredite que são duas personalidades totalmente distintas (Einar/Lili).

Claro, a atuação de Alicia também está impecável, mostrando uma mulher forte que mesmo vendo todo o sofrimento da perda de seu amor não desiste continuando ao lado de Lili até o fim.

A Garota Dinamarquesa é a luta por alguém que deseja apenas ser feliz.

A Garota Dinamarquesa - Distribuição - Universal Pictures International FranceO maior problema do filme é o equívoco que o diretor Tom Hooper (O discurso do Rei) tem sobre seu espectador. A falha necessidade de impôr sinfonias em momentos dramáticos ou felizes do filme para que o espectador possa entender o que está acontecendo passa a ser um problema em vários momentos do filme, além do foco demasiado sobre uma determinada cena, como Einar tocando nas roupas femininas.

O porém de toda a obra é que nessas cenas que percebemos o quão trabalhado foi o figurino deste filme que possivelmente possa vir a levar o Oscar na categoria. Cada roupa foi bem trabalhada para que a Dinamarca da década de 1920 fosse bem representada, além de serem figurinos marcantes.

De certa forma, A Garota Dinamarquesa é um dos melhores filmes de Tom Hooper e com certeza é a melhor atuação da carreira promissora de Eddie Redmayne, digno talvez de um Oscar (mesmo que já tenha levado um pela A Teoria de Tudo em seu excepcional papel como Stephen Hawking). A luta que Lili Elbe enfrentou décadas atrás é um marco histórico e serve como símbolo na luta contra o preconceito da transexualidade e vale a pena, mesmo não sendo um filme grandioso, conhecer a história desta grande mulher.