Filmes Amaldiçoados – Parte 2

Para quem não leu a primeira parte, para agora e vai ler: Filmes Amaldiçoados – Parte 1

Para quem já leu, lembra que eu terminei o último post falando da morte do Heath Ledger em O Cavaleiro das Trevas e falei que a morte dele impactou outra produção? Também comentei que falaria do diretor mais azarado do mundo, Terry Gilliam e vamos falar dele AGORA, afinal, ele é o motivo de criar esse post.

O Mundo Imaginário do Dr. Parnassus

Em janeiro de 2008 o mundo foi surpreendido com a notícia da morte do ator Heath Ledger e se o Nolan ficou preocupado com o fato de seu vilão ter morrido antes do lançamento de seu filme, imagina Gilliam que perdeu Ledger NOS MEIO DAS FILMAGENS.

Para explicar o impacto da falta de Legher eu tenho que fazer uma pequena sinopse do filme:
Dr. Parnassus tem o extraordinário dom de inspirar a imaginação das pessoas. Ele oferece ao público a possibilidade de transcender a realidade e entrar num universo de imaginação sem limites por meio de um espelho mágico. Mas toda mágica tem um preço e, por muito tempo, Parnassus vem jogando com o diabo, que agora volta para receber o seu pagamento: a sua preciosa filha Valentina.

Para não perder a amada filha, Parnassus negocia um novo pacto através de uma aposta: Valentina será daquele que conseguir seduzir cinco almas primeiro. É aí que a trupe encontra o Tony Shepherd (Heath Ledger) pendurado num cabo da ponte Blackfriers, em Londres. Depois de salvo, o vigarista com sérios problemas com a máfia russa, se junta ao grupo e embarca numa viagem por mundos paralelos, disposto a ajudar Parnassus a resgatar sua filha.

Ledger já tinha gravado as cenas no mundo normal e por conta de “dentro do espelho” ter muita computação gráfica, iam ser as últimas filmagens do filme. Por conta da morte do ator, o roteiro teve que ser levemente mudado. Quanto Tonny entra no espelho a sua aparência muda, esse foi o artificio achado para continuar com a produção do filme.

Amigos do ator aceitaram fazer as cenas do espelho, recebendo o salário mínimo estipulado pelo sindicado dos atores e por causa disso temos no filme: Johnny Depp, Colin Farrell e Jude Law vivendo Tonny dentro do espelho.

Mas a maldição não para por ai, mas vamos deixar o melhor pro final 🙂

O Corvo

Outro filme que sofreu com morte do protagonista no meio das filmagens, a adaptação dos quadrinhos dirigida por Alex Proyas ficou mundialmente conhecido pela morte de Brandon Lee, filho de Bruce Lee, no set de filmagens.

Uma das cenas do filme, uma arma é carregada, engatilhada e apontada para a câmera mas, por causa da curta distância do take e para dar uma maior verossimilhança, a munição carregada era de verdade mas sem pólvora. Após a realização desta cena, o assistente do armeiro (sim havia um armeiro, que já havia deixado o set) limpou a arma para retirar as cápsulas, derrubando um dos projéteis no cano. A cena seguinte a ser filmada envolvendo aquela arma era o estupro de Shelly, sendo que a arma foi carregada com festim (utilizada normalmente mais com mais pólvora por conta do som).

Lee entra em cena carregando um saco de sangue explosivo. No roteiro constava que Funboy deveria atirar em Eric Draven quando ele entrasse na sala, estourando o saco de sangue. O projétil que estava preso no cano foi disparado em Lee através da sacola que ele carregava e atinge o ator. Brandon morre ainda no set.

A cena da morte de Brandon Lee foi incluída na edição final do filme, mas não foi revelado qual era essa cena na época do lançamento, o que gerou inúmeras especulações a respeito. Apenas vários anos após o filme ter estreado, o ator Michael Massee, que interpretou Funboy, revelou em uma entrevista que fora ele que, sem saber, disparara a bala que encerrou a vida de Brandon.

O Guia do Mochileiro Das Galáxias

Originalmente um programa de rádio na BBC Radio 4, o Guia se tornou um fenômeno na Inglaterra e virou livros, série de tv e em um filme.

O roteiro do filme era escrito pele autor do programa de rádio e dos livros Douglas Adams, mas ele faleceu em maio de 2001 no meio da produção do roteiro. Então a Disney deu o projeto nas mãos de Karey Kirkpatrick (Querida, Encolhi a Gente, O Pequeno Vampiro, Os Sem-Floresta e Os Smurfs e a Vila Perdida) e o cara MUDOU O ROTEIRO DO MEIO PRO FINAL INTEIRO.

Até metade do filme ele é extremamente fiel ao livro, mas do meio para o final tudo desanda e parece que são dois roteiros diferentes costurados no mesmo longa.

Por conta dessa confusão o filme foi um fracasso e a Disney passa longe de cogitar uma continuação.

Apocalypse Now

Apocalypse Now ia ser o grande épico de guerra de Francis Ford Coppola, mas tudo que poderia dar errado deu.

As filmagens iam acontecer em uma praia de Manila, capital das Filipinas. Estava tudo pronto para começar a produção do filme em maio de 1976, mas o país foi atingido pelo tufão Olga e tudo foi perdido. As filmagens que tinham previsão de acontecer em 6 semanas, levaram 16 meses para ser concluídas.

O paraíso de Coppola se tornou um deserto já que as arvores foram arrancadas e o elenco voltou para os E.U.A.

Depois de tudo estabilizado, o principal nome do filme não chegava em Manila, o astro Marlon Brando quis desistir do filme e não viajou. Depois de muitos telefonemas de Coppola e do agente, Brando foi para Filipinas, assustadoramente acima do peso.

Brando faria um papel de um coronel do exército americano, mas estava muito acima do peso, então o diretor teve que improvisar e todas as cenas que ele aparece, são nas sombras.

Tanto sofrimento deu luz a um documentário: O Apocalipse de um Cineasta, dirigido por Eleanor Coppola, a espola de Francis Ford

O homem que matou Dom Quixote

Voltamos para Terry Gilliam. O diretor de Brazil, O Pescador de Ilusões, Os 12 Macacos, Os Irmãos Grimm, Medo e Delírio e todos os filmes e episódios da série do grupo Monty Python tem o projeto de lançar o filme adaptando o clássico Dom Quixote há 17 anos.

Em 2000 ocorreu a primeira tentativa de filmagem do filme na Espanha, com Johnny Depp e Jean Rochefort no elenco.

No primeiro dia de filmagens, descobriu que a locação escolhida era próxima a um campo de treinamento de tiro dos aviões da OTAN, e sempre vazava o som nas filmagens. No segundo dia, caiu o céu na Espanha e por conta da inundação foram destruídos os equipamentos e pior, descaracterizaram totalmente o local.

Dias depois o ator principal, Jean Rochefort foi diagnosticado com hérnia de disco e impedido de montar a cavalo, mas não tem como Don Quixote ficar sem cavalo ? Então a produção por paralisada e o estúdio perdeu em torno de 15 milhões de dólares.

Em 2005, Gilliam voltou a sua batalha para produzir o filme, mas por conta de mudanças de produtores o filme virou motivo de processos judiciais e o filme foi embargado.

Em 2009 começaram a trabalhar novamente no filme, com Robert Duvall no papel de Dom Quixote e Johnny Depp no papel de Toby Grisoni. Mas por conta da produção dos Piratas no Caribe, as filmagens foram atrasadas e logo depois Depp confirmou que estaria fora do projeto.

Terry Gilliam voltou a produção em setembro de 2014 nas Ilhas Canárias com a produção do espanhol Adrián Guerra. Em agosto de 2014, durante uma entrevista realizada pelo sítio TheWrap, Terry Gilliam anunciou que recebeu o financiamento e que ator John Hurt confirmou que interpretaria Dom Quixote.

Em junho de 2015, foi noticiado que a Amazon Studios lançaria o filme nos cinemas e no serviço de streaming. Em setembro de 2015, foi noticiado que a produção do filme havia sido suspensa novamente, devido John Hurt ter sido diagnosticado com câncer no pâncreas.

4 de junho de 2017, Terry Gilliam anunciou que as gravações haviam sido concluídas, após dezassete anos com Jonathan Pryce como Quixote, Adam Driver como Toby Grisoni e Olga Kurylenko como Jacqui. Mas como desgraça pouca é bobagem o produtor Paulo Branco, entrou na justiça alegando que quem mantem os direitos do filme são ele e que Terry Gilliam fez um filme “clandestino”.

Se esse filme ainda sai um dia, só o tempo dirá, Mas que perrengue em ? PQP.