A ascensão do E-Sport

A ascensão do E-Sport

Estava eu cá pensando esses dias “caralhinhos voadores, que saudades de quando eu jogava League”. Então decidi assistir a final do CBLOL e comecei lembrar como esse jogo cresceu no Brasil. Não só ele no singular, mas todo cenário competitivo de E-Sports, termo usado para competições organizadas de jogos eletrônicos. A ideia de criar campeonatos de joguinhos já é antiga, por volta de 1972 com as “Olimpíadas Intergaláticas de Spacewar”, dedicada para estudantes de uma universidade em Stamford e partindo para outros projetos em larga escala.

Quando eu comecei jogar (lá por meados de 2012), havia esboços de campeonatos apenas. Então a RIOT veio com o CBLOL, o primeiro campeonato de League of Legends brasileiro que ocorreu na BGS (Brasil Game Show), com a campeã VTI.Ignis.

Mylon(atual Pain), Rafes,Snowlz(Que atuou muito tempo pela Keyd), manajj e Alocs(atual INTZ)
Mylon(atual Pain), Rafes,Snowlz (Que atuou muito tempo pela Keyd), manajj e Alocs (atual INTZ)

Aquele time participou de uma transição grandiosa na historia do E-Sport dentro desse país, afinal a primeira ascensão veio com a Mibr do grande bit que foi campeã da ESWC (Eletronic Sports World Cup), mas por algum motivo sumiu e não teve um projeto continuado.

MIBR campeã
MIBR campeã

Com League of Legends gerando cada vez mais dinheiro, os times foram se profissionalizando, ganhando investidores, patrocínios e aquele cenário amador foi mudando, onde cada jogador que treinava em casa e se juntava esporadicamente para treinar com o time se mudou para uma Gaming House (Centro de Treinamento mais o menos como dos times de futebol), com salários para os jogadores e toda estrutura para melhorarem seus desempenhos.

Ano passado parecia que o Brasil havia alcançado seu ápice, quando a RIOT anunciou que a final do CBLOL seria no nada mais, nada menos Maracanãzinho (palco de grandes conquistas do Vôlei Brasileiro). A mídia brasileira se virou toda para empresa, com League of Legends e E-Sports, pois enquanto isso o “The International 4” (Mundial de Dota) estava sendo transmitido pela ESPN (AÊE BITCHES COROLHO), tendo incrível audiência, ficando somente atrás do Super Bowl já que as pessoas deixam de viver pelo Super Bowl. Isso mostra que a cada ano que passa o E-Sport vem se consolidando mais e mais, com seu publico fiel onde as pessoas idolatram jogadores, times, acompanham Stream dos jogadores prediletos, compram camisa dos times e torcem.

Na final disputada do Mundial de League of Legends tivemos o estádio da Copa do Mundo de 2002 na Coréia do Sul, que por sinal estava lotada e contou com a apresentação da Banda Imagine Dragons tocando onde entre as músicas, uma criada para o próprio campeonato gerando uma renda GIGANTE e premiando o campeão com 1 milhão de dólares. O The International de Dota pagou 5 milhões de dólares ao campeão, o time chinês Newbee e nessa última semana a equipe Evil Geniuses faturou o campeonato The International 5 com uma premiação modesta de 6,6 Milhões de obamas. É MUITA GRANA!

Com essas premiações o público só vem mostrando que dentro de todo mercado competitivo, o arco de crescimento do E-Sport é maior que qualquer outro esporte, pagando premiações superiores as do mundial de Golf ou o campeonato brasileiro de futebol, além de ter um lucro que vem aumentando exponencialmente.

Temos ainda por cima grandes nomes no mercado de “Counter Strike: Global Offensive”, “World of Tanks”, “Smite”, “Heroes of the Storm”, “Cross Fire”, “FIFA”, “Street Fighter”, “HeartStone”, entre outros, porém cito Dota e League pois são os principais responsáveis pelo status atual. A Coréia do Sul nos trouxe esse mercado lá em 1998/99 com Starcraft, tornando inclusive o E-Sport como parte do comitê olímpico graças a esses acontecimentos.

É com esse passar dos anos onde afirmo que o E-Sport é o futuro e dentro de mais alguns anos será tão popular quanto futebol, espero eu. 😀