Jogamos na área Indie da #BGS10, o espaço que tem potencial para evoluir!

Dentre os vários espaços que existe dentro da Brasil Game Show, sejam ele das desenvolvedoras thirds party ou então de empresas publishers, há um espaço dedicado para aqueles que começam pequenos, mas que possuem um potencial gigantesco: a área INDIE.

Os jogos Independentes ou chamados de Indie, são games que são desenvolvidos por uma pessoa ou pequenos grupos, onde geralmente não recebem tanto financiamento quanto grandes desenvolvedoras, e utilizam da criatividade para criar seus jogos. Na BGS, o espaço dos jogos indies foram dominados por uma variedade imensa de jogos independentes, desde pixelados de 8 bits até a mais detalhada realidade virtual desenvolvida em Unreal 4. 

Jogamos alguns nesses três últimos dias da maior feira de games da America Latina, confira:

  • Memories of Kami: The Origami Legend
    Desenvolvido pela Yokai Collective, Memories of Kami é um jogo side scroller onde o jogador controla diversos tipos de animais de origamis, que são guardiões do paraíso chamado Kami, e lutam pela paz e equilíbrio. Cada animal possui uma habilidade especial, o que torna o jogo rico de possibilidades e alternativas. O visual também é fantástico, mesmo ainda no início do desenvolvimento e com previsão de lançamento para final de 2018, Memories of Kami tem tudo para ser uma incrível jogo com uma história muito profunda.
  • Rise of Ages
    Rises of Ages É um jogo sandbox 2D com modos single e multiplayer que consiste em iniciar e evoluir uma civilização, desde da era dos “homens das cavernas” até homens medievais. Um jogo simples, porém bem elaborado, pode ser uma ótima escolha para passar jogando durante dias entediados.
  • Gartic
    Muito mais que um jogo de desenho, Gartic é uma rede social para desenhistas. Escolha um time, descubra o que eles estão desenhando em tempo real. O time com mais acertos vence. É quase como um jogo de mímica, mas com desenhos feitos diretamente do computador. Leve, divertido, inteligente e instigante, sem dúvida um dos melhores jogos indies da feira.
  • Restless – Face do demônio 

    Sem dúvida um dos melhores jogos da área indie. Restless trabalha na estética de primeira pessoa, pensado também para realidade virtual, onde você é um advogado muito bem renomado, mas que possui um passado sombrio e agora tem que sobreviver de um ataque de espíritos demoníacos em seu apartamento usando a lanterna do celular de sua filha e outros objetos. O projeto ainda está no começo do desenvolvimento e pode passar por várias mudanças, porém todo o modelo já trabalho mostra que a pequena equipe está no caminho certo.